VERBETES:

 Monica Setuyo Okamoto e

Miyoko Saito

 

 

A coluna feminina (Fujin ran) no jornal Burajiru Jihô

Publicado em 03/11/2016

Entre 1917 e 1924, o impresso nipo-brasileiro Burajiru Jihô (Notícias do Brazil) publicou mais de trezentas matérias voltadas para o público leitor feminino na coluna semanal intitulada Fujin ran (coluna para senhoras ou coluna feminina).

Boa parte dessas matérias foi de autoria de uma colaboradora que assinava sob o pseudônimo de Kioko. Esporadicamente, a coluna trazia também artigos de outras colaboradoras como: Yonako, “Mulher solitária”, Toshiko Mori e Chikako Yoshimura. Não se sabe ao certo se eram, de fato, mulheres, ou homens que assinavam sob o pseudônimo feminino.

O jornal Jihô, que tinha uma política voltada para o interesse do governo japonês,  inclui a temática feminina em suas edições semanais com o intuito de amenizar os problemas e os sofrimentos enfrentados pelas imigrantes japonesas no Brasil. De abordagem otimista, o Jihô trazia artigos de incentivo e dicas para solucionar os problemas domésticos das imigrantes. Na verdade, essa participação das mulheres na mídia japonesa se deve ao fato de parte dos problemas no processo de adaptação dos imigrantes japoneses no Brasil estarem relacionadas à questão feminina, daí a preocupação do Consulado Japonês em sanar ou ao menos abrandar esse ponto.

As esposas dos imigrantes japoneses costumavam ter uma jornada dupla de trabalho, no campo e na casa, sem tempo ou dinheiro para pensarem em si mesmas. Muitas dessas mulheres ainda precisavam aguentar os maus tratos da sogra ou a violência do marido alcoólatra. As colunas femininas do Burajiru Jihô tentam amenizar esses problemas domésticos dando conselhos às mulheres e reanimando-as na execução de suas tarefas diárias.

Havia também conselhos acerca da moral e do comportamento das mulheres solteiras e casadas (“O castelo da mulher é o seu lar”, “A má reputação da mulher leva o seu lar à destruição”, “O ideal da mulher é o trabalho doméstico”, “Desejo sexual das mulheres bonitas”, “A boca da mulher é a origem da desgraça”); apresentação das tarefas domésticas como algo agradável e incentivo para não caírem na depressão (“Culinária é uma coisa divertida”, “Não há maior alegria (para as mulheres) do que o trabalho”, “O ideal da mulher é o trabalho doméstico”); dicas  para problemas domésticos e criação dos filhos (“Como lavar roupas de lã”, “Cuidados com doenças gastrointestinais das crianças”, “Conservação dos alimentos”) eram os artigos recorrentes da coluna. Entretanto, chama igualmente a atenção as matérias relacionadas à autoestima das imigrantes japonesas (“Arrumar o cabelo é uma demonstração de virtude e refinamento feminino”, “Para se tornar bela”).

Para citar este artigo:
OKAMOTO, Monica Setuyo; SAITO, Miyoko. A coluna feminina (Fujin Ran) no jornal Burajiru Jihô. In Site TRANFOPRESS Brasil, disponível em: <transfopressbrasil.franca.unesp.br/verbetes/a-coluna-feminina-fujin-ran-no-jornal-burajiru-jiho>