VERBETES:

 Isabel Cristina Arendt

 

 

Jornais em língua alemã editados no Rio Grande do Sul (1871 a 1941)

Publicado em 28/11/2017.

Almanaques e jornais em língua alemã, editados no Rio Grande do Sul, podem ser consultados na Biblioteca da Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS, em setor específico denominado Acervo de Obras Especiais – Memorial Jesuíta. Destacamos dois títulos de jornais, cuja longevidade ultrapassa quarenta anos, com interrupções em sua edição apenas nos anos finais da Primeira Grande Guerra Mundial.

O primeiro deles, intitulado Deutsches Volksblatt, foi editado em Porto Alegre, entre 1871 e 1941, fundado por jesuítas alemães da Companhia de Jesus, impresso posteriormente pela Tipografia do Centro. O público leitor alvo era a população católica, com fluência de leitura em língua alemã, especialmente comunidades de imigrantes alemães e descendentes. A Coleção física está disponível para a pesquisa, apesar de não microfilmada, nem digitalizada, no acervo do Memorial Jesuíta. Trata-se de uma coleção não completa, fragilizada na sua conservação, porém ainda legível. Recentemente, publicamos artigo em que este periódico é objeto de análise mais detalhada (ARENDT e HARRES, 2017).

O segundo título a ser apresentado aqui é o Deutsche Post, editado em São Leopoldo entre 1880 e 1928. Este foi fundado por um pastor luterano, Wilhelm Rotermund, enviado em 1874 ao Brasil pelo Comitê para os Alemães Protestantes no Sul do Brasil, vinculado à Sociedade Missionária da Renânia. Ele também organizou a Editora Rotermund, empresa que ainda está ativa, e foi responsável pela edição do jornal até 1928, então já em mãos de familiares do fundador. Este periódico estava direcionado aos leitores de confissão religiosa evangélico-luterana. A coleção existente no Rio Grande do Sul é de propriedade da família Rotermund e está cedida em comodato ao Museu Histórico Visconde de São Leopoldo. Além disso, foi microfilmada em projeto coordenado pelo pesquisador Prof. Dr. Martin N. Dreher (UNISINOS-FAPERGS), então vinculado ao Programa de Pós-Graduação em História da UNISINOS. Esta parceria proporcionou a disponibilização de uma cópia de microfilme para pesquisa no próprio Museu, mas também no Acervo do Memorial Jesuíta da Universidade. Trata-se de uma coleção quase completa.

Apesar do alinhamento de seus editores ter sido de cunho religioso, ambos jornais funcionavam como informativo de interesse e ofereciam aos leitores de língua alemã familiaridade com a política local. René Gertz (2014) já ressaltou que os próprios editores os consideravam políticos, no sentido de fomentar e tornar cidadãos brasileiros plenos os imigrantes alemães. Em artigo específico sobre o jornal Deutsches Volksblatt, reforçamos que este apresentava temas “relevantes à inserção social, econômica, política e cultural dos imigrantes e seus descendentes” (ARENDT e HARRES, 2017, p. 425).

Figura2_DV_capa_1871_Nova

Imagem da primeira edição do Deutsches Volksblatt (10/03/1871), reproduzida na edição comemorativa de 1921. Fonte: Coleção de Obras Raras e Especiais do Memorial Jesuíta UNISINOS.

Referências

ARENDT, Isabel Cristina; HARRES, Marluza Marques. In: LUCA, Tania Regina de; GUIMARÃES, Valéria (Orgs.).  Imprensa estrangeira publicada no Brasil: primeiras incursões. São Paulo: Rafael Copeti Editor, 2017. P. 424-450.

GERTZ, René E. Imigração alemã e imprensa. In: DREHER, Martin N.; TRAMONTINI, Marcos J. (Org.). Imigração & Imprensa. Porto Alegre: 2004. p.100 -122.

 

CONFIRA AS OBRAS do Acervo de Coleções Especiais.  Disponível em: http://unisinos.br/biblioteca/fique-sabendo/memorial-jesuita/confira-as-obras-do-acervo-de-colecoes-especiais. Acesso em: nov. 2017.

Para citar este artigo:
ARENDT, Isabel. Jornais em língua alemã editados no Rio Grande do Sul (1871 a 1941). In Site TRANFOPRESS Brasil, disponível em: <http://transfopressbrasil.franca.unesp.br/verbetes/jornais-em-lingua-alema-editados-no-rio-grande-do-sul-1871-a-1941>