VERBETES:

Lucia Chermont

 

 

 

Di Idiche Tzukunft (O Futuro Israelita), segundo periódico em iídiche no Brasil

Publicado em 30/03/2018.

Em Porto Alegre, surgiu o segundo periódico em iídiche no Brasil, o Di Idiche Tzukunft (O Futuro Israelita), mesmo local do primeiro. Os dois periódicos tinham como editor o jornalista vindo da Argentina conhecido como Josef Halevi. Após o fracasso do primeiro periódico Halevi, antes de se dedicar a nova empreitada, realizou algumas viagens para as comunidades judaicas de São Paulo e do Rio de Janeiro em busca de verificar a possibilidade de fundar um novo jornal maior e angariar fundos para o mesmo. Foi muito bem acolhido por onde passou, mas infelizmente não obteve o sucesso financeiro que desejava.

Este novo periódico tinha clara orientação anarquista e segundo alguns pesquisadores o jornal era apoiado pelo grupo de anarquistas judeus que existiam em Porto Alegre e participavam de ações políticas, juntamente com alemães e italianos. Nos anos de 1919 e 1920 aconteceram algumas greves e manifestações operárias com grande adesão por parte dos trabalhadores. Correntes ideológicas anarquistas e comunistas estavam bastante presente nas articulações destas manifestações e muito dos seus integrantes eram estrangeiros, o que resultou por parte da polícia brasileira uma grande repressão, prisão e deportação dos estrangeiros para os seus países de origem. Tentando, desta forma, enfraquecer a luta e as reinvindicações dos operários.

O jornal O Di Idiche Tzukunft contava com uma expressiva equipe de correspondentes em várias cidades no Rio Grande do Sul, onde existiam comunidades judaicas, no Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Recife. Os temas mais frequentes eram sobre o Pós-Guerra, o Sionismo, o Renascimento de Eretz Israel e as possibilidades de absorção de imigrantes judeus no Brasil. Tinha uma coluna especial sobre o Comitê de Ajuda ao Imigrante da capital. Seu formato era semelhante ao primeiro periódico em ídiche surgido no Brasil, o Di Menscheit, quatro páginas, pequeno formato, mas idealizado para ser um mensário. Entrou em circulação em 15 de janeiro de 1920.

Infelizmente este periódico também durou poucos meses, como o primeiro, e com a morte de Josef Halevi no mesmo ano da sua fundação o jornal não teve continuidade. As caixas que continham os caracteres em hebraico utilizados pelo jornal ficaram no local da “Kultur Ligue” (Liga de Cultura), cuja sede era situada então no edifício do Centro Israelita.

O Futuro Israelita, Porto Alegre, 1920-min

Imagem: Di Idiche Tzukunft , nº 6, Porto Alegre, 15 de janeiro de 1920.

Referências

DULLES, John W. F. Anarquistas e comunistas no Brasil, (1900-1935). Rio de Janeiro; Nova Fronteira, 1977

FALBEL, Nachman. Judeus no Brasil: estudos e notas. São Paulo: Humanitas; Edusp, 2008.

HALPERN, Josef. Contribuição para a história da imprensa judaica no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Instituto Cultural Judaico Marc Chagal; Museu Judaico de Porto Alegre, 1999

Para citar este artigo:
CHERMONT, Lucia. Di Idiche Tzukunft (O Futuro Israelita), segundo periódico em iídiche no Brasil. In Site TRANFOPRESS Brasil, disponível em: http://transfopressbrasil.franca.unesp.br/verbetes/di-idiche-tzukunft-o-futuro-israelita-segundo-periodico-em-iidiche-no-brasil