VERBETES:

 Maria Teresa dos Santos Cunha
Cristiani Bereta da Silva

 

 

 

O Jornal  italiano “La Tribuna” e sua circulação em Florianópolis /1932: Primeiros apontamentos

Publicado em 27/02/2017.

Em 01/02/1932, era criado o semanário La Tribuna, voltado para toda a colônia italiana do Estado de Santa Catarina. Proclamava-se como um órgão independente publicado semanalmente em Florianópolis sob a direção de Arnoldo Suarez Cúneo, dentista conhecido na cidade e tinha na redação o jornalista italiano Biaggio D’Alascio. Este jornal circulou em Florianópolis/Santa Catarina e hoje cinco números estão disponíveis e digitalizados pelo Projeto da Biblioteca Pública intitulado Hemeroteca Digital Catarinense (números 1, 8, 9, 11 e 14 entre fevereiro e julho de 1932) Temos conhecimento de outros doze números (números 2, 3, 4, 5, 6, 7; 10, 12, 13, 15, 16, 17, de 1932) ainda não digitalizados e todos preservados no acervo da Biblioteca Pública que merecerão ser consultados e analisados.

As notícias oriundas da Itália chegavam a Florianópolis e, ao que tudo indica, à redação do La Tribuna, através do chamado Cabo Submarino que foi operado em Florianópolis durante quase 100 anos pela Western Telegraph Company Limited, empresa do grupo britânico Cable and Wireless. O Cabo Submarino foi, entre 1874 e 1973, uma tecnologia disponível para a comunicação da cidade com o mundo A Western teve presença no cotidiano local, interligando a capital, por meio de mensagens em Código Morse, a qualquer lugar do mundo. Da estação no Centro da cidade (Rua João Pinto) saíam cabos submersos na baía Sul e seguiam pelo oceano para as estações de Rio Grande (RS) e Santos (SP). Em vários dos textos do jornal, há referências a esta forma de comunicação o que permite considerar que a circulação de ideias, textos, articulistas se fazia presente e colocava leitores florianopolitanos a par do que acontecia no mundo europeu, na Itália, especialmente.

O Jornal La Tribuna trazia notícias e comentários de articulistas convidados da cidade de Florianópolis (como José Dinis e José Boiteux /IHGSC) e muitas notícias sobre a Itália, principalmente as de conotação política. Suas páginas continham, também, mensagens edificantes e propagandas que privilegiam o comércio de descendentes de italianos na cidade para evidenciar sua pujança e importância na economia e, nada inocentemente, propagavam a difusão do fascismo. Assim, além de destacar a obra da imigração italiana no Estado também exaltavam a glória passada por meio de referências a Giuseppe e Anita Garibaldi, heróis de dois mundos e glória daquele presente bem como noticiavam ações do rei Victor Emmanuel II e o Duce Benito Mussolini. Ao exaltar Garibaldi, Anita e Mussolini, infere-se que o articulista do jornal, intencionava estabelecer um forte vínculo entre os dois países, para tentar construir e divulgar um passado glorioso. Dessa forma, pode-se considerar que a imprensa foi também um dos canais por onde o Fascismo italiano conseguiu atrair e obter a simpatia de vários setores da sociedade catarinense, em especial os imigrantes italianos e seus descendentes em uma lógica de celebrações. Em todos os exemplares do ano de 1932, pesquisados, é possível anotar que o Jornal exercia a função de interpelar os italianos por meio do emprego do nacionalismo e do patriotismo.

Imagem-Jornal-La-Tribuna

Imagem: La Tribuna, ano I, nº 1, Florianópolis , 1 de fevereiro de 1932.

Para citar este artigo:
CUNHA, Maria Teresa Santos; SILVA , Cristiani Bereta da. O Jornal italiano “La Tribuna” e sua circulação em Florianópolis /1932: Primeiros apontamentos, disponível em: http://transfopressbrasil.franca.unesp.br/verbetes/o-jornal-italiano-la-tribuna-e-sua-circulacao-em-florianopolis-1932-primeiros-apontamentos